Morreu César Batalha, pai do Coro de Santo Amaro de Oeiras

O maestro tinha 76 anos.

Morreu César Batalha. A notícia foi revelada pelo coro de Santo Amaro de Oeiras, através da rede social Facebook.

César Batalha, fundador do coro de Santo Amaro de Oeiras, faleceu na sexta-feira, aos 76 anos. Nas redes sociais, o coro recorda o maestro como "uma personalidade forte, cheia de vida e de garra", alguém que "conquistou corações de miúdos e graúdos, Portugal fora".

O maestro fica na memória de todos também pela criação de músicas como "Eu vi um Sapo" e "A Todos um Bom Natal" .

Corria o ano de 1980 e este era o sapo mais conhecido do país. A canção de César Batalha, na voz de Maria Armanda, com apenas quatro anos, haveria de dar a vitória a Portugal no festival infantil Sequim de Ouro, em Itália.

Leonor Marques, diretora artística do coro, ainda recorda o primeiro dia em que cantou com o grupo que o país inteiro conhece. Em todas as memórias, tem presença viva o maestro César Batalha, de quem fala como descrevendo um génio. "Vou recordar um homem genial, que fundou um coro com muita coragem e audácia, e que o dirigiu durante 50 anos", assegura, em declarações à TSF.

A condução por César Batalha, rememora, "é uma direção completamente diferente", porque "ele dirigia com a alma, dirigia com o olhar, dirigia com o sorriso". E o coro "é o filho do maestro, o maestro não deixou filhos", complementa a diretora artística do coro de Santo Amaro de Oeiras.

"Vamos honrar o nosso pai e fazer crescer o coro. Neste momento de dor, esta família está mais unida do que nunca."

Leonor Marques ingressou no coro de Santo Amaro de Oeiras aos sete anos de idade, já lá vão 43. Foi nessa altura que conheceu César Batalha. Emocionada, diz que não seria quem é sem o maestro. "Aprendi tudo, ele orientou a minha vida, no fundo. Hoje posso dizer que sou quem sou porque conheci uma pessoa como o maestro César Batalha. Todo o meu percurso profissional e pessoal está ligado ao coro de Santo Amaro de Oeiras."

A diretora artística do coro não tem dúvidas de que há uma canção do repertório que não será esquecida. "Vamos cantar sempre o 'A Todos um Bom Natal', esse será quase o hino nacional de Natal em Portugal", garante.

Há dez anos que César Batalha já não estava no coro.

O município de Oeiras publicou, no seu site, uma nota de "pesar pela morte" do autor do hino da cidade, cujo auditório municipal tem o nome do maestro.

Segundo a nota de pesar do Coro de Santo Amaro de Oeiras enviada à agência Lusa, César Batalha estava hospitalizado há dias no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, onde morreu na sexta-feira, pelas 22h00.

O coro diz estar "em luto" e recorda as "centenas" de "amigos, conhecidos e alunos que, ao longo da vida (...) admiraram e estimaram" o maestro, de quem guardam "uma marca de bondade, dedicação e amor".

César Batalha - autor de obras conhecidas do grande público e cantadas por várias gerações, como "Eu vi um sapo" ou "A todos um bom Natal" - fundou o Coro de Santo Amaro de Oeiras em 1960, com apenas 15 anos, tendo aí dirigido "mais de 1200 pessoas", segundo a mesma nota.

Maestro, compositor, organista e professor, César Batalha recebeu vários prémios nacionais e internacionais ao longo da sua carreira, como o Melhor Coro do Ano (1980) e a Medalha de Mérito Artístico da Câmara Municipal de Oeiras (1981).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de