Mostrengo, estreia esta noite no S. Carlos

O Teatro Nacional S. Carlos lançou o desafio a jovens compositores durante o segundo confinamento para comporem em concurso e hoje é apresentada a obra vencedora pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, Mostrengo.

Mostrengo, foi anunciado em julho passado, como o vencedor do ABC, Prémio Incentivo à Criação, iniciativa do OPART, obra do jovem compositor Marco Pereira, agora materializada pela Orquestra Sinfónica Portuguesa.

Marco Pereira, o compositor, foi buscar o mostrengo, nome da obra à Mensagem de Fernando Pessoa que hoje pode ter várias maneiras de ler.

O maestro José Eduardo Gomes que vai dirigir a Orquestra Sinfónica Portuguesa, chama a esta peça, Mostrengo, uma peça muito descritiva.

Um concerto que para além da estreia de mostrengo de Marco Pereira vencedor do prémio Incentivo à Criação, tem também primeiras obras de compositores conhecidos, Prokofiev, Ravel e Stravinsky. Do russo Prokofiev a Sinfonia n.º 1, escrita aos 25 anos, e conhecida como Sinfonia Clássica.

Originalmente escrito para piano em 1895, em homenagem a Emmanuel Chabrier, o Menuet antique de Ravel foi orquestrado pelo compositor em 1929.

A frescura da música de jovens compositores, esta noite na estreia absoluta de Mostrengo de Marco Pereira, mais uma peça para o repertório de orquestra nasce esta noite, de sexta-feira, 21 de janeiro.

Concerto da Orquestra Sinfónica Portuguesa, no Teatro Nacional S. Carlos, em Lisboa, às 21h00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de