"Ninguém fica para trás": visitar um museu em tempos de pandemia

Depois de dois meses e meio fechado, o Palácio da Bolsa, no Porto, reabriu com salas redecoradas e, em agosto, recebeu mais de 15 mil visitas.

A reabertura do Palácio da Bolsa trouxe mais coisas para ver e novas regras.

"Bom dia, vou pedir para medirem a temperatura e fazerem a higienização das mãos", explica a guia Joana Sequeira.

No Palácio da Bolsa passou a estar definido um circuito de visita obrigatório para que os grupos não se cruzem e ninguém pode ficar para trás.

Regras que não afastam os turistas. Miguel Pinto Maria, diretor executivo da Associação Comercial do Porto, proprietária do espaço, diz que o mês de agosto trouxe nova esperança. "Em termos de percentagem, em agosto, tivemos cerca de 40% dos valores do mesmo período do ano passado, o que representa mais de 15 mil visitantes. Os portugueses representam cerca de metade deste valor".

O Palácio da Bolsa esteve fechado de 13 de março a 30 de maio, num ano que registava um crescimento de 30% no número de visitas. Aproveitaram esta pausa para concluir as obras de renovação dos vários espaços do edifício.

"Por exemplo, a galeria dos antigos presidentes era uma sala que tinha fotografias de todos os antigos presidentes da associação e o que fizemos foi uma remodelação na pintura do espaço, e, em vez de fotografias, temos quadros pintados de todos os antigos presidentes. O gabinete do Eiffel foi todo redecorado, agora tem elementos do nosso espólio referentes a Gustave Eiffel; a sala dos retratos foi toda redecorada, praticamente tem um toque em todos os espaços".

No Pátio das Nações um grupo de turistas franceses está a terminar a visita. Pascoalini Françoise diz que se sente segura. "Apesar da pandemia, é muito agradável, porque tem muito menos pessoas e aproveitamos mais estes belos espaços. Podemos ver todos os detalhes, que são sumptuosos, muito bonitos. É muito agradável de ver e temos uma perspetiva que não tínhamos... Este é o único ponto positivo da pandemia: poder visitar estes edifícios em excelentes condições".

As visitas guiadas ao Palácio da Bolsa duram cerca de meia hora.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de