O amor numa furtiva lágrima

O Teatro Nacional S. Carlos, em Lisboa, abre a temporada lírica, amanhã, sábado, 01 de outubro, com o L"elisir de la Amore de Donizetti.

Una Furtiva Lágrima, é a ária de Nemorino, o apaixonado desta história, já na parte final da ópera,

Mário João Alves, já a cantou inúmeras vezes, agora está no lugar de encenador e ainda na cenografia, Una Furtiva Lágrima.

A ária que muitas pessoas vão ao teatro só para a ouvir, uma melodia e um canto do tenor que temn tudo para ser escutada.

Esta é uma história de amor, primeiro não correspondido, mas que termina em grande paixão com melodias que Mário João Alves compara com melodias da música popular.

A história é passada no campo, com camponeses, mas para esta versão o cenário é bastante simples, para deixar espaço para a música e para a imaginação dos espetadores, sem criar tempo nem lugar.

Mário João Alves, o tenor, está agora neste lugar de cenógrafo e de encenador mas já foi muitas vezes Nemorino, o homem que se apaixona por Adina e que faz tudo para ter aquele amor, L"elisir d"amore, para as melodias apaixonadas de Donizetti.

L"elisir d"amore, Gaetano Donizetti, Libreto: Felice Romani, Direção Musical: Antonio Pirolli, Encenação e Cenografia: Mário João Alves, Figurinos: Sandra Catarino, Desenho de luz: José Diogo, Adina: Rita Marques, Nemorino: Antonio Garés, Belcore: Ricardo Panela, Dulcamara:, Ricardo Seguel, Giannetta: Joana Seara, Coro do Teatro Nacional de São Carlos (Maestro titular Giampaolo Vessella), Orquestra Sinfónica Portuguesa.

O Elixir do Amor, abre a temporada lírica, no Teatro Nacional S. Carlos, em Lisboa, amanhã, sábado, dia 1 de outubro às 20h00, récitas segunda dia 3 e quinta dia 6 e no domingo, dia 8 às 16h00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de