Orquestra de Sopros de Chaves foi a "melhor do mundo" com viagem pela Nacional 2

Já é costume, competir e ganhar. Mas desta vez, o prémio estava no imaginário de Marcelo Almeida e Luciano Pereira desde que fundaram a Orquestra de Sopros da Academia de Artes de Chaves, há 14 anos. Finalmente a orquestra conseguiu apurar-se para o World Music Contest, nos Países Baixos, e com um concerto de 48 minutos ficou em primeiro lugar. Mais, conseguiu a mais alta pontuação de sempre.

As imagens da Nacional 2, de Chaves até Faro, ilustraram o concerto da vitória.
"Queríamos aproveitar a Nacional 2 e a partir daí escolher um programa musical que conseguisse representar a viagem e levá-la até à Holanda", conta à TSF o maestro Luciano Pereira.

Se bem o pensaram, melhor o fizeram. Com ajuda de todos.

O concerto inédito, passou pelas regiões vitivinícolas portuguesas, com ilustração, em fundo, em tempo real, de António Ribeiro, o pai de um dos alunos, "enquanto interpretávamos a obra BoDEGA, do compositor espanhol Salvador Sebastiá".

Os de Chaves fizeram um brilharete, mas o maestro admite que por trás deste momento de glória estão muitos dias, muitas horas, de sacrifício e de trabalho, "nas vésperas da viagem ensaiávamos quase ininterruptamente".

E não foram só os músicos, os pais mergulharam no desafio com o mesmo entusiasmo. Na página da orquestra na internet, lá está um dos segredos de terem conseguido levar 110 músicos à Holanda.

Estão lá as canecas e a serigrafia "de António Ribeiro, encarregado de educação de um dos alunos", uma amostra do merchandising que serviu para a angariação de fundos.

O telefonema do Presidente da República, seguido de uma nota no site da Presidência foi o reconhecimento institucional que soube particularmente bem.

Essa certeza afinal de que "apesar de estarmos um bocadinho afastados, toda a gente vai estando atenta ao que vamos fazendo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de