Peripécia Teatro estreia esta sexta-feira uma história de minhocas

"Húúúmus!!!" é a nova produção da companhia sediada em Vila Real. O objetivo é alertar para a importância daqueles seres na Natureza.

Chama-se "Húúúmus!!!" e é uma história sobre minhocas inspirada na obra "Há um Cabelo na Minha Terra", de Gary Larson. É a nova produção da Peripécia Teatro, que estreia, esta sexta-feira, em Vila Real e depois segue para outros palcos nacionais.

Depois de "O Ensaio dos Abutres", de 2020, "Húúúmus!!!" volta a ligar a Peripécia Teatro às questões ambientais, pretendendo desmitificar a imagem de espécies menos queridas do público. Neste caso estão em destaque as minhocas.

Num palco coberto de terra, a história começa com um jogo em que o pai ensina o filho a lidar com os perigos à superfície. O som é de suspense, o pequeno esconde-se enquanto o progenitor simula ser um pássaro que o quer comer. "Filho, porque gritas tanto!?" Resposta: "Ó pai, és muito realista!" Outra vez o pai: "Quando tu vires um pássaro a sério, não podes entrar em pânico. Tens de respirar e mergulhar... na terra."

É na terra que tudo se passa. É ela também o único alimento à mesa da refeição do casal de minhocas e do filho. Até que aparece um cabelo no prato do pequeno. "O que é isto?" pergunta. E os progenitores: "É um cabelo, feminino, loiro, falso, com permanente, de Homo Sapiens", brincam.

Mas o filho, infeliz, não se fica: "Ahhh! Um cabelo na minha terra!" E corre a vomitar na sanita. "Detesto ser minhoca! Somos a base da cadeia alimentar, comida de pássaros, isco de peixes. Mas que vida insignificante a nossa!"

De acordo com o codiretor artístico da Peripécia, Sérgio Agostinho, o objetivo é que o público saia transformado, que, através do humor, ganhe consciência de que "os seres que acha insignificantes são essenciais". "Sem minhocas não haveria húmus, e sem este não haveria plantas, e sem elas nenhum dos chamados seres superiores", refere.

"Húúúmus!!!" estreia esta sexta-feira, às 21h30, no Centro Cultural e Recreativo de Benagouro, a nova sala de trabalho da Peripécia Teatro, e repete sábado e domingo às 17h00. Na próxima quarta-feira terá duas sessões no Teatro Municipal de Bragança. Em novembro chegará ao auditório A Moagem, no Fundão (dia 12) e ao Festola, URATE, de Oliveira de Azeméis (26). Em dezembro subirá ao palco do Teatro de Vila Real (dias 2 e 3) e ao ACERT de Tondela (10).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de