Raquel Morreu, No Futuro

A Morte de Raquel, é um espectaculo de Raquel Castro, estreia esta noite no Teatro S. Luiz, em Lisboa, em cena o velório da prórpia encenadora em 2080.

Tudo começa pelo epitáfio, ou não estivéssemos a falar de morte de Raquel, da própria Raquel Castro. E o texto é deste modo: É com profundo pesar que comunicamos o falecimento da nossa Raquel, na noite passada, aos 99 anos de idade. A sua morte causa-nos uma enorme tristeza mas as memórias que nos deixa são também razão de alegria por termos feito parte da grande aventura que foi a sua vida. Agradecemos todas as mensagens de conforto que temos recebido. Noventa e nove anos de idade para a Raquel, que deixa em testamento o que deve ser dito no seu próprio velório. Três vozes, falam por si próprios e por ela. A confusão pode ser essa, a vida que aconteceu até agora é real e a partir daqui tudo é ficção porque vai-se contar a história desta mulher até aos 99 anos. O que quer que se diga no velório, com o caixão em cena, sim! neste espetáculo a Raquel morreu, aos 99 anos, em 2080, e A Raquel já fala pela própria boca, morreu, morte há sempre aqui a morte em fundo, mesmo que seja longínqua. Poderemos nós fazer fintas ao destino? É com profundo pesar que comunicamos o falecimento da nossa Raquel, na noite passada, aos 99 anos de idade.

TEXTO E ENCENAÇÃO Raquel Castro INTERPRETAÇÃO Joana Bárcia, Nuno Nunes, Raquel Castro e Rita Morais APOIO DRAMATÚRGICO Pedro Gil APOIO À CRIAÇÃO Keli Freitas DESENHO DE LUZ Daniel Worm CENOGRAFIA E FIGURINOS Ângela Rocha SONOPLASTIA E MÚSICA ORIGINAL Diogo Almeida Ribeiro DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Vítor Alves Brotas - AGÊNCIA 25 DESIGN GRÁFICO Isabel Lucena APOIO FINANCEIRO À CRIAÇÃO Fundação GDA APOIO DaCasa - Vinho Espumante Bruto e Luís Lemos Cabeleireiros RESIDÊNCIAS Companhia Olga Roriz e Câmara Municipal de Lisboa / Polo Cultural das Gaivotas - Boavista AGRADECIMENTOS Associação Cultural Prado, Maria João Santos, Pedro Costa e Propositário Azul COPRODUÇÃO Barba Azul, Teatro Nacional São João e São Luiz Teatro Municipal.

A Morte de Raquel, estreia hoje, na sala estúdio Mário Viegas, no Teatro S. Luiz, em Lisboa e fica quarta sexta e sábado às 21h00, quinta às 20h00, e domingo às 17h30, até 15 de março

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de