Salas de teatro e cinema dão receita de bilheteira à família do ator Bruno Candé

O ator que morreu baleado em julho passado faria 40 anos esta sexta-feira.

O ator Bruno Candé, que morreu baleado em julho passado, é recordado hoje por oito salas e companhias de teatro, pelo cinema Ideal e a distribuidora Alambique, com a receita dos espetáculos a reverter na íntegra para a família.

Bruno Candé faria 40 anos esta sexta-feira e, como forma de assinalar a data, as receitas de bilheteira dos espetáculos em cena em oito espaços culturais de Lisboa e do Porto serão canalizadas para a família do ator, através da associação SOS Racismo, de acordo com o comunicado divulgado pelo Teatro Nacional D. Maria II.

Além deste teatro nacional de Lisboa, à homenagem ao ator juntam-se ainda os teatros municipais São Luiz, Maria Matos e Teatro do Bairro Alto, em Lisboa, o Teatro Maria Vitória, o Teatro Municipal do Porto, além do espaço CAL - Primeiros Sintomas e do Teatro da Politécnica, também em Lisboa, onde está a companhia Artistas Unidos, que decidiu duplicar o número de sessões, para as 19:00 e as 21:30, devido ao número limitado de lugares disponíveis.

O Cinema Ideal, que na quinta-feira acolheu a estreia do filme "O Fim do Mundo", de Basil da Cunha, e a distribuidora Alambique, que distribui a obra, também se associaram a esta "Homenagem a Bruno Candé", com a entrega da receita de bilheteira à família, anunciaram estas duas entidades.

Bruno Candé Marques morreu em julho, aos 39 anos, após ter sido baleado, várias vezes, em plena Avenida de Moscavide, concelho de Loures. O suspeito do homicídio, de 76 anos, foi detido no local e aguarda julgamento em prisão preventiva.

Bruno Candé deixou três filhos menores, entre os dois e os seis anos.

O ator nasceu em Lisboa, em 1980. Iniciou o seu percurso no grupo de teatro da Casa Pia, ainda na adolescência, tendo posteriormente frequentado o curso de formação teatral do Chapitô, onde chegou em 1995 e participou em vários espetáculos, sob direção do encenador Bruno Schiappa.

Trabalhava desde 2011 com a Casa Conveniente, de Mónica Calle, onde participou em "A Missão - Recordações de uma Revolução", de Heiner Müller, distinguido com o prémio de Melhor Espetáculo do Ano, em 2012, pela Sociedade Portuguesa de Autores.

Fez parte do elenco de produções como "Macbeth", "O Livro de Job", "Rifar o Meu Coração", "A Sagração da Primavera", "Noites Brancas", dirigidas por Mónica Calle, "Drive In", de Mónica Garnel, e "Atlas" de João Borralho e Ana Galante.

Entrou no filme "Ivone Kane", de Margarida Cardoso. Esteve também no elenco de telenovelas como "Única Mulher", da TVI.

O ator preparava o novo projeto da Casa Conveniente, "O Escuro Que Te Ilumina", espetáculo que tem por base a história da sua vida e da sua recuperação, após um acidente sofrido em 2017.

Segundo a companhia, o projeto será posto em cena, "com uma nova força", em 2021.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de