Saravá Palavrá & Outros Batuques Poéticos

Audiolivro é apresentado esta quinta e sexta-feira em espetáculos com entrada livre em Lisboa e no Porto.

Poemas e percussão. Palavra e ritmo. Um trabalho para abrir caminho sobre "a beleza do som da nossa língua". Viton Araújo e André Dez batucam a conversa boca a boca, num audiolivro que dá vida nova ao espetáculo que iniciaram há sete anos. O audiolivro entrou na coleção Boca de Incêndio, da editora Boca, e é apresentado quinta e sexta, em Lisboa e no Porto.

O poema já sabia a pouco, e foi assim que o poeta brasileiro Viton Araújo começou a procurar um outro ritmo para a palavra. André Dez, o percussionista que estuda e procura as raízes do som, entrou nas palavras e nasceu este Saravá Palavrá.

"Uma conversa com a língua do som e do ritmo", explica Viton Araújo, que saúda e celebra "toda a nossa língua e toda a riqueza que ela tem".

"É a pele do instrumento na palavra do Viton", acrescenta André Dez, improvisando na mesa do estúdio o batuque poético que podemos aqui ouvir e folhear. Os dois falam num ritual, em que é preciso "despir o sentido crítico e literário, para curtir o som".

Palavrinhas, palavras médias e palavrões, cabe tudo no palco desta edição em livro e áudio, que chama para a conversa o coro das vozes de Nêgah Jaci e Carla Visi, e tem ilustrações de Caró Lago. E começa assim:

ai eu peço licença a FO

peço licença a NÉ

peço licença a TI

peço licença a CA

mojubá meus orixás:

agô Exu agô Xangô

agô bábá Oxalá

agô Iyá Iemanjá

eparrei Iansã!

O lançamento da edição em livro e áudio de Saravá Palavrá & Outros Batuques Poéticos em Lisboa e no Porto, estão marcados para quinta e sexta, com entrada livre. Um poema-ritual com as participações de Luca Argel em Lisboa e Dino Nigra no Porto. E a dança falada de Marisa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de