"Tornou a escultura portuguesa contemporânea." Costa lamenta morte de João Cutileiro

O escultor morreu esta terça-feira, aos 83 anos.

O primeiro-ministro manifestou "profunda tristeza" pela morte do escultor João Cutileiro, salientando que com a sua obra se assistiu a uma renovação do espaço público em Portugal e a escultura portuguesa tornou-se contemporânea.

João Cutileiro morreu esta terça-feira, aos 83 anos, após ter estado internado num hospital de Lisboa com graves problemas do foro respiratório.

Numa mensagem divulgada na sua conta pessoal da rede social Twitter, o primeiro-ministro considera que, com João Cutileiro, "a escultura portuguesa tornou-se contemporânea".

"Trabalhando predominantemente com mármore, as suas obras públicas contribuíram para renovar o espaço público em Portugal e dessacralizar a estatuária. É com profunda tristeza que lamento a sua morte", escreve o primeiro-ministro.

O escultor era irmão do diplomata e escritor José Cutileiro, que morreu em maio de 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de