"Tribunal de Contos", o livro que põe juízes a contar o seu lado da história

Novo livro foi integralmente criado por juízes, incluindo 16 contos, mas também o prefácio, uma ilustração e a foto capa.

"São dezasseis os Contos chamados a julgar os juízes e as juízas que lhes deram vida", escreve o juiz Álvaro Laborinho Lúcio no prefácio do novo livro "Tribunal de Contos", da editora Almedina.

Assim é, esta é uma obra feita por juízes, que mostra o outro lado dos acórdãos e processos, mas é um livro para todos, explica à TSF a juíza desembargadora Eleonora Viegas, responsável pela organização do livro.

"Não é um livro de juízes para juízes é um livro de pessoas que escrevem e também são juízes, que mostra o outro lado, ou um dos outros lados do juiz, que vai ao encontro das suas emoções".

Procurar uma cumplicidade com os leitores é algo a que os juízes não estão habituados, nota Eleonora Viegas. O dia-a-dia de um juiz é "um quotidiano difícil" e "o ato de julgar envolve alguma solidão".

O novo livro foi integralmente criado por juízes, todos os 16 contos, mas também o prefácio, uma ilustração e a fotografia da capa. Os direitos de autor revertem para a IPSS Casa do Juiz.

"Tribunal de contos" é lançado esta sexta-feira em Lisboa no salão nobre do Tribunal da Relação, com transmissão online em direto no site da Justiça TV. Na sexta seguinte é lançado no Tribunal de Relação de Coimbra e no dia 4 de dezembro no Tribunal da Relação do Porto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de