Um centenário que aposta na leitura de Saramago

O comissário Carlos Reis fala de uma exposição, e de uma carta que não é utópica.

O comissário das comemorações do centenário de Saramago, acredita que uma das formas de conhecer melhor a forma como o escritor prémio Nobel construía as suas obras vai ser numa exposição.

Carlos Reis, explica que a exposição vai acontecer na Biblioteca Nacional, que partilha com a Fundação Saramago o essencial do espólio do escritor. A exposição, deverá acontecer durante o próximo ano.

Carlos Reis não antecipa a publicação de inéditos de Saramago, para lá de alguma correspondência, ou outros destes papeis soltos.

No planeamento das diversas iniciativas do centenário, houve uma preocupação tratar o tema da leitura, da biografia do escritor, e da vida cívica. Inspirada pelos discursos, e pelos livros que escreveu, foi desenvolvida nos últimos anos uma "Carta Universal dos Deveres e Obrigações dos Seres Humanos.

Carlos Reis entende que não é uma utopia pensar neste documento, como um anexo da carta universal dos direitos humanos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de