Velhas, Velhos, podem Dançar?

Depois da estreia em Braga, a peça Velhas, mas que se pode ler Velhos, coreografia de Francisco Camacho, está amanhã e domingo, no Teatro S. Luiz, em Lisboa.

Podem os velhos, ou velhas ainda dançar. Velhas ou velhos, a forma da letra dá as duas leituras e é isso mesmo: velhos e velhas, é um desafio do coreografo Francisco Camacho e bailarinos e bailarinas com perto de 50 anos, o que para a dança já são demasiado velhos, e começa tudo com o grafismo do titulo. O A está dentro de um círculo com o "A" de anarquista.

Parte também de uma inquietude de Francisco Camacho que olha para tudo o que faz intensamente e para todos os outros e quando é que isto pode acabar ou ser obrigado a acabar.

Há várias idades para varias tarefas e Francisco Camacho alargou a ideia para além da dança e tem mesmo muitas idades em palco.

Olhar os corpos, e não fugir deles são velhos são velhas, no a está um a de anarquista é um alerta, não idades, só tempo que passou.

DIREÇÃO ARTÍSTICA E COREOGRAFIA Francisco Camacho INTERPRETAÇÃO E COCRIAÇÃO Ana Caetano, Bernardo Gama, Carlota Lagido, Filippo Bandiera, Francisco Camacho, Sílvia Real MÚSICA ORIGINAL E INTERPRETAÇÃO AO VIVO Sérgio Pelágio CENOGRAFIA E LUZ Frank Laubenheimer ASSISTÊNCIA À DIREÇÃO Carlota Borges Lloret CONSULTORIA Diego Lasio TÉCNICO DE SOM Sérgio Milhano PRODUÇÃO EXECUTIVA Teresa Brito, Tiago Sgarbi COPRODUÇÃO Theatro Circo de Braga APOIO Dance On (Berlim), Estúdios Victor Córdon (Lisboa), Teatro Gustavo Modena (Génova) AGRADECIMENTOS Stefania Opisso, Giovanna Gosio, Tiago Cadete

Velhos, Velhas de Franscisco Camacho, sábado e domingo, no Teatro S. Luiz em Lisboa, às 16h00.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de