Viseu celebra Jornadas Europeias do Património com mais de 30 atividades

Arranca esta sexta-feira mais uma edição das Jornadas Europeias do Património, este ano dedicadas ao tema: "Património Inclusivo e Diversificado. Em Viseu, as jornadas vão ser celebradas até ao próximo dia 3 de outubro, com mais de 30 atividades.

As Jornadas Europeias do Património, este ano dedicadas ao tema "Património Inclusivo e Diversificado", vão ser assinaladas no concelho de Viseu com mais de três dezenas de atividades ao longo de dez dias.

As comemorações arrancam esta sexta-feira e estendem-se até ao próximo dia 3 de outubro.

Seguindo o mote da inclusão, já este sábado realiza-se uma visita guiada, a pensar nos cidadãos invisuais, à exposição "Os Dinossáurios vão ao Museu do Quartzo".

Um técnico do espaço museológico vai fazer de cicerone aos visitantes com deficiência visual, sendo ajudado por uma técnica da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO). "Vou estar a ajudar os associados a interagirem e a conhecerem melhor esta visita dos dinossauros", explica Susana Benedito, técnica da ACAPO.

Os invisuais terão acesso a material em braile e vão poder até tocar nos objetos expostos. A Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal entende que este tipo de exposições, mais acessíveis, deveria acontecer mais vezes. "De certa forma iria promover e ajudar a que as pessoas conseguissem sair mais, aprender e conhecer novos projetos", sustenta Susana Benedito.

A rede de museus municipais de Viseu preparou ainda outras atividades para todos tenham acesso ao património."Temos uma visita que vamos ter no Museu Almeida Moreira que é o "Soar de cima às escuras", em que as pessoas só terão contacto com as obras através do que vão ouvir do guia e também do tato. Termos ainda no Museu Keil Amaral que se intitula "Oficina na ponta dos dedos", com a ideia de explorarmos os materiais somente através do tato", refere Sandra Alves da rede de museus municipais de Viseu.

Até ao dia 3 de outubro vão realizar-se mais de três dezenas de ações, entre visitas guiadas a exposições e obras de arte itinerantes, ateliês, conversas, conferências, roteiros em busca de património e instalações de luzes.

Estas atividades vão decorrer nos oito espaços museológicos da autarquia, mas também no centro histórico, mata do Fontelo, jardins do Solar do Vinho do Dão e na Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva. "A ideia é chegar ao máximo de público possível", remata Sandra Alves.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de