Zerlina é Luísa Cruz com João Botelho

A Criada Zerlina, é uma peça de teatro com encenação do cineasta João Botelho com Luísa Cruz, está agora no Teatro Aberto, em Lisboa.

A criada Zerlina, assim, na mesma cara, no mesmo corpo, mas que assume várias personagens. João Botelho aceitou este convite para encenar a Criada Zerlina e Luisa Cruz aceitou de imediato quando soube que era João Botelho a encenar. Do jogo de luz e planos do cinema, só sobrou a luz não se cansa de dizer João Botelho, este plano geral do teatro é campo aberto mas desafiante. Luzes e sombras e pessoas aflitas lá no meio diz João Botelho, de qualquer espetáculo, como este com Luísa Cruz, sozinha, mas sem estar só, ela é tudo neste texto que parte do romance de Hermann Broch. Um espetáculo criado também ali no palco, João Botelho confessa que umas boas ideias da encenação é da própria atriz, Luisa Cruz, falar com um personagem e fazer tudo. Zerlina, a velha criada assume tudo, o desejo e amor, ele que não é do povo mas também não é da burguesia, mas assume tudo, tudo devia ser dela. O amor, o desejo erótico, uma mulher, uma criada, é o centro de tudo, do palco e da cenografia de João Cabrita Reis, a negro, a jogar com a luz e este plano geral, primeiro plano do cineasta.

VERSÃO António S. Ribeiro e José Ribeiro da Fonte TRADUÇÃO Suzana Muñoz ENCENAÇÃO João Botelho CENOGRAFIA Pedro Cabrita Reis DESENHO DE LUZ Nuno Meira SONOPLASTIA Sérgio Milhano PRODUÇÃO EXECUTIVA Nuno Pratas INTERPRETAÇÃO Luísa Cruz, Uma co-produção Centro Cultural de Belém e Culturproject.

A Criada Zerlina, com Luísa Cruz e encenação de João Botelho está no Teatro Aberto, em Lisboa e fica quarta sexta e sábado às 9 e meia da noite, quinta às 7 da tarde e domingo às 4 da tarde, até 01 de março.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de