Governo vai devolver dinheiro gasto em combustíveis via IVAucher

Ministro das Finanças anunciou medidas de combate ao aumento dos preços de combustíveis.

PorCátia Carmo
© Manuel de Almeida/EPA

O Governo anunciou, esta sexta-feira, várias medidas de combate ao aumento dos preços dos combustíveis. Entre elas está um pacote de grande dimensão para as famílias, em que o dinheiro será devolvido via IVAucher.

"Vai haver um pacote de grande dimensão para as famílias, de 10 cêntimos por litro até março de 2022 e até 50 litros por mês através de uma transferência direta para a conta bancária das famílias, através da plataforma IVaucher", explicou João Leão.

Na prática, o Governo vai devolver às famílias cinco euros por mês. Prevê-se que o preço dos combustíveis comece a cair a partir de janeiro do próximo ano mas, até lá, a situação exige medidas excecionais, como o "apoio direto às famílias".

"Fomos o primeiro país da Europa, na área dos combustíveis, que decidiu reduzir, a título excecional, o imposto sobre os combustíveis na semana passada. Isso passou por devolver às famílias e empresas o excesso de IVA que era cobrado", sublinhou o ministro das Finanças.

Na eletricidade, o ministro lembra que o Governo vai tomar medidas de 800 milhões de euros para conseguir reduzir o défice tarifário e as tarifas, conseguindo também que, no próximo ano, as famílias portuguesas possam contar com uma redução do preço. O imposto sobre o carbono também será congelado até março de 2022.

Já na área dos transportes coletivos de passageiros, o Executivo vai fazer uma transferência para as empresas, com o objetivo de compensar o aumento do preço dos combustíveis. Mas não se fica por aqui.

"No setor do transporte de mercadorias decidimos dar continuidade a um conjunto de medidas que passam, entre outras, pelo alargamento da isenção de IUC e o alargamento do limite usado para o gasóleo profissional. Para todo o setor dos transportes vamos prorrogar a majoração em sede de IRC dos custos com combustíveis", anunciou.

Estas medidas incluem-se num pacote de medidas extraordinárias que o Governo vai aplicar até março de 2022 e que também contempla soluções dirigidas especificamente às empresas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG