Hoteleiros do Algarve já começaram a receber cancelamentos de turistas portugueses

Dirigente da Associação Hoteleira de Portugal no Algarve critica também o facto de haver concelhos como Loulé e Albufeira, iminentemente turísticos, que vão voltar atrás no desconfinamento.

PorMaria Augusta Casaca com Cátia Carmo
© Patrícia de Melo Moreira/AFP

Os hoteleiros do Algarve já começaram a receber cancelamentos por parte de turistas portugueses que vivem na Área Metropolitana de Lisboa. João Soares, dirigente da Associação Hoteleira de Portugal no Algarve e proprietário de um hotel em Quarteira, fala em mais uma situação penalizadora para o turismo.

"Estas notícias são, de facto, muito penalizadoras para o Algarve, de um modo geral. Sabendo que estávamos com estas restrições com o mercado britânico e com outros mercados, acabamos por ser muito penalizados em relação ao mercado nacional. Muito do mercado que visita o Algarve é da parte de Lisboa, da Área Metropolitana, e as pessoas veem-se agora restringidas, ao fim de semana, por não poderem circular a partir da tarde de sexta-feira", explicou à TSF João Soares.

O hoteleiro critica também o facto de haver concelhos como Loulé e Albufeira, iminentemente turísticos, que vão voltar atrás no desconfinamento por estarem a ser contabilizados os números dos não residentes.

"Não é por deixar de fechar os restaurantes à 1h ou às 00h e passar a fechar às 22h30 que vai haver um impacto na redução do número de casos, mas também porque não deverão ser considerados, conforme disse o primeiro-ministro, os casos de turistas. Os turistas vêm e vão e os residentes são quem cá está e quem deve contar, efetivamente, para os números. Não compreendemos, de todo, esta decisão que acaba por ser muito penalizadora para o Algarve", acrescentou o dirigente da Associação Hoteleira de Portugal no Algarve.

Ouça as declarações do hoteleiro João Soares à TSF

Your browser doesn’t support HTML5 audio

No final da reunião do Conselho de Ministros realizada na quinta-feira, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou que "as restrições de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa aplicam-se a partir das 15h00" de sexta-feira e pretendem que "a elevada incidência [de Covid-19] que se faz sentir nesta região não se transporte para fora dela".

A ministra destacou que esta é uma medida nova de controlo da pandemia, que "não é fácil nem desejada por ninguém, mas que é necessária" para conter o agravamento da incidência da doença nesta região, sobretudo com a prevalência da variante "delta" do coronavírus.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG