Nova página eletrónica e falta de pessoal geram "caos" nos serviços de finanças

Incidente informático poderá prolongar-se "nos próximos dias".

PorLusa
© Artur Machado / Global Imagens

Os serviços de finanças vivem "um verdadeiro caos" devido à entrada em vigor de uma nova página informática, numa altura em que, à falta de recursos humanos, somam-se as férias de funcionários, denunciou esta segunda-feira o STI.

"Vive-se, desde o início da tarde de hoje, um verdadeiro caos nos serviços da Autoridade Tributária (AT) com paragens efetivas de serviço, fruto da entrada em vigor de uma nova página informática de aplicações e alterações aos mecanismos de contextualização", avança o Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI) em comunicado.

Segundo avança o sindicato, "tendo em conta o ambiente de extrema carência de efetivos e de meios que se vive na AT" o incidente informático gerado esta segunda-feira poderá prolongar-se "nos próximos dias".

Para o STI, "houve mais uma vez falta de planeamento na decisão de entrada e vigor dos novos produtos informáticos, sobretudo pelo facto de o lançamento ser feito numa altura de maior pressão nos serviços" num mês em que "há muitos funcionários em pleno gozo de férias, a somar à já existente escassez de recursos humanos".

O sindicato defende que as alterações "deveriam ter sido testadas primeiro em experiências piloto em vez de se determinar a sua aplicação em todos os serviços da AT, bloqueando desta forma um país inteiro".

No comunicado, o STI refere que têm ocorrido constrangimentos relacionados com o desbloqueio dos 'pop-up', que impedem o acesso às aplicações, quer através do Internet Explorer, quer do Chrome, um problema já admitido pela própria Direção-Geral da AT.

"Os serviços centrais sugerem que se reportem todas as situações ao 'helpdesk' mas este demora horas a atender e não resolve a situação", afirma o STI.

Segundo acrescenta, a atualização do sistema visa "a contextualização detalhada de cada acesso à base de dados, o que se traduz em mais um bloqueio ao trabalho na AT que vai tornar o serviço prestado cada vez mais demorado, burocrático e ineficiente".

Em 27 de junho, o STI anunciou que pediu uma audiência ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre "a grave rutura de recursos humanos" nos serviços de finanças e "a falta de cumprimento" do regime de carreiras.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG