Salário mínimo em 2023: Governo propõe "diferencial adicional" para compensar a inflação

É uma das propostas entregues aos parceiros sociais no âmbito do Acordo de Médio Prazo de Melhoria dos Rendimentos, dos Salários e da Competitividade. Objetivo mantém-se nos 900 euros, em 2026.

PorJudith Menezes e Sousa
© Photo by Markus Spiske on Unsplash

Para compensar os efeitos da inflação, o Governo defende que, em 2023, "o aumento da remuneração mínima mensal garantida deve assegurar um diferencial adicional," como se lê na proposta entregue aos parceiros sociais a que a TSF teve acesso.

Sem adiantar mais detalhes, o executivo abre a porta a que, no próximo ano, o aumento do salário mínimo nacional traduza um reforço para mitigar os reflexos da inflação.

Atualmente, o salário mínimo nacional é de 705 euros, o executivo mantém a intenção de aumentar para o valor de "pelo menos, 900 euros em 2026."

Ouça aqui a notícia sobre a proposta do Governo entregue aos parceiros sociais.

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Outra das propostas entregue aos parceiros sociais é a valorização nominal das remunerações em 4,8% em média, em cada ano, entre 2023 e 2026.

O objetivo é garantir que até 2026 haja um aumento médio acumulado de 20% dos salários dos trabalhadores face a 2022, indica a proposta para um acordo de médio prazo de melhoria dos rendimentos, salários e competitividade, que é apresentada na Concertação Social na tarde desta quarta-feira.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG