Associação Portuguesa de Bancos desconhece situações de pressão sobre contabilistas

A associação que representa os bancos portugueses adverte para a responsabilidade dos profissionais bancários e garante que o eventual afastamento das regras éticas e legais deve ser alvo de análise. Em causa denúncia da bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados.

A Associação Portuguesa de Bancos (APB) desconhece as situações denunciadas pela bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados sobre alegadas pressões da banca junto dos contabilistas para validar falsas declarações. Numa resposta escrita enviada à TSF, a APB garante que os bancos cumprem a lei quaisquer atos isolados de colaboradores bancários devem ser alvo de "análise", caso se afastem das normas de conduta.

"A APB desconhece as situações identificadas pela Senhora Bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados", começa por dizer a associação. "Gostaríamos de deixar claro que a atuação dos bancos se rege pelo cumprimento escrupuloso da lei. Quaisquer condutas isoladas de colaboradores bancários, que se hajam eventualmente afastado das regras éticas e legais que norteiam a atuação dos bancos, serão certamente alvo de análise e aplicação das medidas adequadas, por parte das Instituições", esclarece a APB.

A associação responde desta forma à bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados que denunciou a pressão da banca junto dos contabilistas para que validem falsas declarações. Em causa estão quebras acima dos 40% na faturação dos clientes, que não são reais, mas são necessárias para que possam aceder as linhas de crédito com a garantia do Estado.

Paula Franco garante ao Jornal de Negócios que já recebeu queixas, tem provas e vai enviá-las para o Ministério Público. A denúncia pública foi feita numa conferência que a Ordem dos Contabilistas organiza todas as semanas.

"Aquilo que temos conhecimento é que se está a passar algo que consideramos inaceitável, os bancos estarem a pedir aos contabilistas para fazerem "um jeitinho" de passar estas declarações mesmo quando as empresas não apresentam esta quebra de faturação", conta a responsável.

Assim, a bastonária chama a atenção aos contabilistas certificados que se chegarem queixas à Ordem os casos serão levados a conselho disciplinar, "serão consideradas falsas declarações e será considerado um erro grave", e por isso apela aos profissionais que denunciem as situações.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de