Associação pede prolongamento dos apoios ao alojamento local até dezembro

Para o dirigente da ALEP, a retoma da atividade vai ser complicada, porque a procura vai ser baixa e exigirá uma reativação de recursos e despesas tendo pouca faturação.

A Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP) alertou esta quarta-feira para necessidade de o Governo continuar a apoiar o setor até ao final do ano, perspetivando um "inverno doloroso", uma vez que a "crise não acaba no verão".

"A retoma vai ser lenta, só vai ter consistência quando houver imunidade de grupo. Estamos num contexto -- no caso do alojamento local -- que não só dependemos de Portugal, mas de toda a confiança em viajar, que só está prevista para o final do ano", salientou o presidente da associação, Eduardo Miranda, na Assembleia da República.

Eduardo Miranda falava através de videoconferência na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, sobre a aplicação das medidas de resposta à pandemia de Covid-19 e do processo de recuperação económica e social.

Para o dirigente, a retoma da atividade vai ser complicada, porque a procura vai ser baixa e exigirá uma reativação de recursos e despesas tendo pouca faturação.

"É preciso dar continuidade aos apoios atuais até ao final de 2021. É preciso prever uma nova tranche do APOIAR no segundo semestre, porque sabemos que o inverno vai ser doloroso para a maior parte das empresas", afirmou.

Segundo Eduardo Miranda, o APOIAR + Simples - que até ao momento não chegou aos empresários - e o APOIAR Rendas são "medidas fundamentais" para o setor, tal como a linha de apoio do Turismo de Portugal.

"[As empresas] estão com um sobre-endividamento enorme e é necessário estender os prazos dos empréstimos. [...] Aumentou-se a carência, mas o prazo foi o mesmo: vão ter de pagar em dois anos, [...] que é impossível, tem de ser pelo menos quatro anos", disse, adiantando que para os empresários que tiveram quebras superiores em mais de 50% os apoios deviam ser a fundo perdido.

Eduardo Miranda indicou ainda que será "inevitável que a médio [e] curto prazo uma parte [dos apoios] seja convertida a fundo perdido".

O presidente da ALEP aproveitou para destacar também a inclusão dos empresários em nome individual no programa APOIAR e salientar que, apesar de a maior parte dos alojamentos locais não terem sido contemplados, o APOIAR Rendas é importante.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.862.002 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.887 pessoas dos 824.368 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de