Avaliação bancária na habitação sobe 8,3% para 1.221 euros por m2 em julho

Por regiões, o maior aumento face ao mês anterior registou-se no Algarve.

O valor mediano de avaliação bancária subiu 8,3% em julho, em termos homólogos, para 1.221 euros por metro quadrado (m2), mais seis euros do que no mês anterior, divulgou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"Em julho de 2021, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1.221 euros por metro quadrado (euros/m2), tendo aumentado 0,5% face a junho (1.215 euros/m2)", refere a autoridade estatística.

Segundo o INE, em julho, o número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 30.000, mais 53,6% do que no mesmo mês do ano anterior, sendo 19.427 de apartamentos e 11.035 de moradias.

Por regiões, o maior aumento face ao mês anterior registou-se no Algarve (2,1%), tendo a Região Autónoma da Madeira apresentado a descida mais acentuada (-0,4%).

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a variação mais intensa registou-se na Área Metropolitana de Lisboa (AML) (8,1%) e a menor no Alentejo (2,4%).

No mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1.350 euros/m2, tendo aumentado 9,8% relativamente a junho de 2020 e 0,8% face ao mês anterior.

O valor mais elevado foi observado na AML (1.606 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (863 euros/m2), enquanto a AML apresentou o crescimento homólogo "mais expressivo" (8,5%) e os Açores a única redução (-2,2%).

Já no que diz respeito a moradias, o valor mediano da avaliação bancária foi de 998 euros/m2 em julho, o que representa um acréscimo de 3,5% em relação ao mesmo mês do ano passado e um recuo de 0,3% em cadeia.

Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1.628 euros/m2) e na AML (1.612 euros/m2), tendo o Centro registado o valor mais baixo (824 euros/m2).

A Área Metropolitana de Lisboa apresentou o maior crescimento homólogo (6,5%) e o menor ocorreu no Centro (1,0%).

De acordo com o Índice do valor mediano de avaliação bancária, em julho de 2021 a AML, o Algarve e o Alentejo Litoral apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (32%, 32% e 6% respetivamente).

Já as regiões Terras de Trás-os-Montes, Alto Tâmega, Beiras e Serra da Estrela e Alto Alentejo foram as que apresentaram o valor mais baixo em relação à mediana do país (-43%).

O INE divulga a 27 de setembro os dados da avaliação bancária relativos a agosto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de