Bancos estão a pedir "um jeitinho" a contabilistas para falsificarem declarações

Paula Franco, bastonária da Ordem dos Contabilistas, assegura que vai enviar denúncias ao Ministério Público.

A bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados denuncia a pressão da banca junto dos contabilistas para que validem falsas declarações. Em causa estão quebras acima dos 40% na faturação dos clientes, que não são reais, mas são necessárias para que possam aceder as linhas de crédito com a garantia do Estado.

Paula Franco garante ao Negócios que já recebeu queixas, tem provas e vai enviá-las para o Ministério Público. A denúncia pública foi feita numa conferência que a Ordem dos Contabilistas organiza todas as semanas.

"Aquilo que temos conhecimento é que se está a passar algo que consideramos inaceitável, os bancos estarem a pedir aos contabilistas para fazerem "um jeitinho" de passar estas declarações mesmo quando as empresas não apresentam esta quebra de faturação", conta a responsável.

Assim, a bastonária chama a atenção aos contabilistas certificados que se chegarem queixas à Ordem os casos serão levados a conselho disciplinar, "serão consideradas falsas declarações e será considerado um erro grave".

Paula Franco pede que os contabilistas façam chegar os pedidos dos bancos a "sugerir este tipo de coisas" e os mesmos serão dirigidos ao Ministério Público. "Estamos a falar de dinheiros públicos, falsas declarações é crime público", frisou, acusando de "falta de ética" quem o faz.

"Dizer que atinge 40% sem ser verdade acho que é gravíssimo, nem vejo como é que tantos colegas estão a cair nesta situação", apontou.

"Não é possível que bancos continuem a fazer aquilo que querem"

Jorge Pisco, presidente da Confederação das Pequenas e Médias Empresas, apela ao Governo que tome as "medidas necessárias" para pôr fim a esta situação. "Não é possível que os bancos continuem a fazer aquilo que querem e lhes apetece", frisou, mostrando estar de acordo com a Ordem dos Contabilistas e com as denúncias ao Ministério Público.

O responsável não conhece nenhum destes casos, mas sim "de bancos a telefonarem e a oferecerem [empréstimo] a quem não tinha pedido.

O Ministério da Economia regista as denúncias feitas pela bastonária e fica à espera dos próximos passos do Ministério Público, a quem são comunicadas as denúncias.

Notícia atualizada às 11h17

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de