BCE confirma envelope de compras de 1,85 biliões de euros

O Conselho do Banco Central Europeu (BCE) decidiu esta quinta-feira confirmar o envelope de compras de emergência e vai manter as taxas de juro.

Na expressão do Conselho do BCE foi reconfirmada "sua orientação muito acomodatícia de política monetária". Ou seja a taxa de juro das operações principais de refinanciamento e as taxas de juro da facilidade permanente de cedência de liquidez e da facilidade permanente de depósito permanecerão inalteradas

A taxa de juro das operações principais de refinanciamento situa-se em 0.00%; as taxas de juro de cedência de liquidez ficam em 0.25% e a taxas de juro de depósito permanece negativa, em menos 0.50%.

"O Conselho do BCE espera que as taxas de juro diretoras do BCE se mantenham nos seus níveis atuais ou inferiores até que as perspetivas de inflação convirjam de forma robusta para um nível suficientemente próximo, mas inferior, de 2%", justifica a instituição liderada por Christine Lagarde.

Por outro lado o Conselho do BCE confirma que "vai continuar as compras no âmbito do programa de compra de emergência pandémica (PEPP) com um envelope total de 1,85 biliões".

1.850.000.000.000 de euros

Um bilião oitocentos e cinquenta mil milhões de euros é este o montante, que pode não ser o montante final, do envelope do BCE para o PEPP.

Aos jornalistas, a presidente do BCE, Christine Lagarde, disse que o envelope acertado é muito ajustável e "temos esperança de que condições favoráveis de financiamento continuem de forma sustentável mas temos que estar preparados para todas as opções. Nesse caso identificámos esse envelope que pode não ser usado na totalidade se atingirmos as condições favoráveis de financiamento ou temos que aumentar o envelope para responder a esta expectativa das condições favoráveis de financiamento", explica.

Do valor total do envelope já foram usados 42% do montante e cerca de 15 mil milhões beneficiaram Portugal.

O Conselho do BCE vai conduzir compras de ativos líquidos no âmbito do PEPP até pelo menos o final de março de 2022.

Por outro lado, o BCE vai continuar a reinvestir os pagamentos dos títulos com vencimento adquiridos ao abrigo do PEPP até, pelo menos, o final de 2023.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de