Beneficiários de prestações de desemprego aumentam 17,2% em abril para 198 mil

Os dados foram divulgados pela Segurança Social.

O número de beneficiários de prestações de desemprego aumentou em abril 13,9% face ao mês anterior e 17,2% comparando com o mesmo período do ano passado, para quase 198 mil, segundo as estatísticas mensais divulgadas esta quarta-feira pela Segurança Social.

"Em abril de 2020 verificou-se um aumento em 24.134 das prestações de desemprego, para um total de 197.949, que corresponde a um acréscimo mensal de 13,9% e de 17,2% face a abril de 2019", indica a síntese estatística elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

O subsídio de desemprego abrangeu 169.016 pessoas em abril, um aumento de 16,3% face a março e de 21,8% relativamente ao mês homólogo.

Já o subsídio social de desemprego inicial abrangeu 8.381 pessoas, revelando subidas de 7,4% e de 16,2% em relação ao mês anterior e ao mês homólogo, respetivamente.

Para a evolução contribuiu "a prorrogação extraordinária das prestações de desemprego", medida aprovada no âmbito da crise causada pela pandemia covid-19, explica o gabinete.

Quanto ao subsídio social de desemprego subsequente, a prestação foi atribuída a 19.128 pessoas, representando reduções de 3,6% em cadeia e de 11,3% face ao período homólogo.

Segundo as estatísticas mensais da Segurança Social, o valor médio dos subsídios é de 442,18 euros.

Hoje o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) indicou que o número de desempregados inscritos aumentou 22,1%, em abril, em comparação com o período homólogo, para 392.323 (mais 71.083 pessoas).

Em relação a março, o número de desempregados inscritos também subiu, observando-se um crescimento de 14,1% (mais 48.562 pessoas).

O número de casais com ambos os elementos no desemprego ascendeu a 6.612 em abril, uma subida homóloga de 10,8%, sendo este o maior aumento desde 2013.

"Do total de desempregados casados ou em união de facto, 13.224 (8,3%) têm também registo de que o seu cônjuge está igualmente inscrito como desempregado no Serviço de Emprego", refere o IEFP.

Desta forma, indica o IEFP, "o número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados foi, no final de abril de 2020, de 6.612, ou seja, 10,8% (+647 casais) que no mês homólogo".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de