"Bomba atómica." PS contra travão de BE e PSD nas transferências para Novo Banco

Vice-presidente da bancada parlamentar socialista acusa o PSD de ter escondido a sua posição até à "calada da madrugada". No Ministério das Finanças a notícia foi recebida com "estupefação".

Da "estupefação" no Terreiro do Paço à "bomba atómica" para o sistema financeiro. Governo e PS foram surpreendidos com a posição do PSD ao acompanhar a proposta do Bloco de Esquerda que suspende a transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco. E não são brandos nas palavras dirigidas à bancada social-democrata...

Já de madrugada, no parlamento, o vice-presidente da bancada do PS João Paulo Correia acusou o PSD de estar a mostrar "uma sede desmesurada de poder" e de lançar uma "bomba atómica na confiança do sistema financeiro"..

O PSD "quebra princípios" que os socialistas dizem ser "essenciais para o funcionamento da economia e para a credibilidade do Estado português".

"Esta irresponsabilidade do PSD, ao juntar os seus votos aos do Bloco de Esquerda, para impedir que o Estado português cumpra um contrato, vai causar danos reputacionais à República, com repercussões nos juros da dívida pública", alerta.

O parlamentar socialista acusa o PSD de não ter assumido esta posição anteriormente, preferindo fazê-lo "na calada da madrugada". João Paulo Correia, diz-se surpreendido com a posição da bancada social-democrata.

"Estivemos da parte da manhã a debater o Novo Banco, e o PSD não abriu a boca. Não assumiu a sua posição. Agora, na calada da madrugada, votou ao lado do Bloco de Esquerda. A surpresa foi a mudança radical do PSD relativamente ao Novo Banco", refere não se pronunciando sobre a posição do PCP e do PAN que também votaram a proposta favoravelmente.

João Paulo Correia sublinha que o Governo colocou de lado os empréstimos ao Fundo de Resolução do Novo Banco e explica que "o que está em causa é a possibilidade de o Fundo de Resolução pedir dinheiro à banca comercial, para injetar esse dinheiro no Novo Banco".

O vice-presidente da bancada do PS diz ainda que, caso a proposta do Bloco de Esquerda volte a ser aprovada, os bancos terão de emprestar o dobro do dinheiro ao Fundo de Resolução. "Terão de fazer um esforço de capitalização muito superior. Isto é uma bomba atómica na confiança do sistema financeiro", acusa.

Ministério das Finanças reage com surpresa

Se já madrugada dentro ainda o PS se movia pelos corredores da Assembleia da República reagindo à surpresa de 25ª hora, no Terreiro do Paço também a noite trouxe surpresa.

Numa primeira reação enviada por escrito à TSF, fonte do Ministério de João Leão é clara nas palavras: "Estupefactos com a posição do PSD, de completa irresponsabilidade e de falta de sentido de Estado e de defesa dos interesses país".

Já antes, quando questionado, João Paulo Correia dizia que o governo já "estava a conversar ao mais alto nível".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de