CFP mais otimista que Governo prevê taxa de desemprego de 5,6% este ano

O Governo prevê uma taxa de emprego de 6% para este ano, enquanto o Conselho das Finanças Públicas estima uma taxa de 5,6%

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) estima uma taxa de desemprego de 5,6% este ano, abaixo dos 6% previstos pelo Governo, e de 5,3% em 2023, foi esta quinta-feira divulgado.

No relatório de atualização das perspetivas económicas e orçamentais 2022-2026, baseado em políticas invariantes, a instituição presidida por Nazaré Costa Cabral revê em baixa as previsões da taxa de desemprego face a março, quando previa 6% este ano e 6,1% em 2023.

A previsão do CFP para este ano é mais otimista do que os 6% esperados pelo Governo e está em linha com a projeção de 5,6% do Banco de Portugal e próxima dos 5,8% esperados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE).

Já o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê uma taxa de 6,5%.

Para o próximo ano, o CFP prevê uma taxa de desemprego de 5,3%.

A instituição melhora também as perspetivas para o crescimento do emprego, este para 1,9%, mais 0,8 p.p. do que anteriormente, "em linha com o forte dinamismo da atividade económica".

Esta taxa compara com os 1,3% esperados pelo Governo, os 1,7% do Banco de Portugal, 1,2% do FMI e com os 2,5% da OCDE.

"Face à maturidade atual do mercado de trabalho e à revisão em baixa das perspetivas de crescimento da economia no restante horizonte de projeção, a média da criação de emprego deverá estabilizar em torno de zero e a taxa de desemprego em torno de 5,1%, traduzindo, no médio prazo, os constrangimentos criados pela evolução demográfica na criação de emprego", destaca o relatório.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de