Lisboa não é Berlim. Costa diz que congelar rendas não é solução

António Costa vinca, em entrevista à Bloomberg, que o congelamento das rendas é "uma matéria muito sensível".

António Costa rejeita para Lisboa a solução adotada por Berlim, de congelar por cinco anos o valor das rendas. Na capital alemã, a medida aprovada em janeito, entrará em vigor ainda este mês, em resposta à entrada de investidores e ao crescimento populacional.

Em entrevista à Bloomberg , o primeiro-ministro argumenta que "a experiência de congelar rendas por 40 anos foi uma má solução para a preservação e para a renovação da cidade". António Costa admite que esta possa ser uma "boa opção para Berlim", mas considera que "[em Portugal] é necessário ir gerindo o mercado para evitar movimentações especulativas, com ferramentas além do congelamento".

A publicação norte-americana também destaca que Portugal avança agora para a eliminação dos vistos gold em Lisboa e no Porto, depois de os investidores terem injetado 4,5 mil milhões de euros no mercado imobiliário desde que o programa foi iniciado, em 2012. Também nesse ano começou o processo que levou à duplicação dos valores das casas até à atualidade.

António Costa vinca, nesta entrevista à Bloomberg, que o congelamento das rendas é "uma matéria muito sensível".

"Temos de confiar nos proprietários e no mercado", analisou o líder do Governo, que vê agora Lisboa a movimentar-se de um mercado muito regulamentado para um "completamente liberal". O primeiro-ministro assinala a necessidade de "compreender o que está a acontecer agora no mercado imobiliário", um problema que se reflete, segundo diz, "em todas as cidades do mundo".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de