Valor mais baixo desde 2002. Desemprego recua para 6,4% em julho

Instituto Nacional de Estatística prevê nova descida em agosto. Desemprego jovem continua próximo de 20%.

A taxa de desemprego de julho atingiu 6,4%, revelou nesta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), que estima uma nova descida em agosto para 6,2%.

É preciso recuar a 2002 para encontrar valores semelhantes: foi também em agosto, mas desse ano, que o país registou, pela última vez, uma taxa de 6,2%.

O valor fixado em julho é 0,1 pontos percentuais inferior ao de junho e 0,4 pontos abaixo do verificado no mês homólogo.

A população desempregada diminuiu 5 mil pessoas em julho (menos 1,5% do que em agosto) para 332.700 pessoas. Para agosto o INE projeta nova queda (de 4,2%) uma estimativa provisória de 318.800 desempregados. A queda em relação ao período homólogo é de 11,6%.

Em julho a população empregada aumentou 11.400 pessoas (0,2%), atingindo um total de 4,8 milhões. Em relação ao período homólogo a subida é de 0,7%.

A estimativa provisória para agosto aponta para novo aumento dos cidadãos com emprego: o INE estima um crescimento de 18.200 pessoas (0,4% em relação a junho e 1,1% na comparação com o período homólogo).

Desemprego jovem continua próximo de 20%

Nas camadas mais jovens da população a taxa de desemprego continua muito acima da média.

Entre os 15 e os 24 anos a taxa de desemprego em julho atingiu 19,3%, mais do que os 18,6% registados em junho mas abaixo dos 17,6% que de forma provisória o INE estima para agosto. Em agosto de 2018 o desemprego jovem fixou-se em 20,4%.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados