É preciso "apoio". Acordo nas pescas é "simpático", mas "a UE tem abandonado o setor"

Trata-se de uma melhoria face à proposta inicialmente prevista, mas o setor das pescas continua a reclamar apoios, alegando que foi abandonado pela UE. É assim que a Associação de Armadores de Pesca Industrial reage ao acordo a que chegaram os ministros com a pasta das Pescas da União Europeia quanto às quotas de captura.

Pedro Jorge Silva, presidente da Associação de Armadores de Pesca Industrial, considera que o acordo firmado entre os ministros com a pasta das Pescas da União Europeia é menos lesivo para o setor em Portugal do que o que a proposta inicialmente delineava.

Depois de uma maratona, os ministros com a pasta das pescas da União Europeia chegaram a acordo para as quotas para o próximo ano. Vai ser possível capturar mais bacalhau, carapaus, tamboril e arrieiro. Por outro lado, foi possível atenuar alguns dos cortes propostos pela Comissão Europeia, em relação à pescada, ao linguado e a lagostim. Ainda se mantêm reduções significativas, mas Pedro Jorge Silva considera que estas novidades "acabam por ser notícias simpáticas, na medida em que a proposta tinha algumas questões que eram francamente preocupantes". O presidente da Associação de Armadores de Pesca Industrial sustenta que os ministros conseguiram "melhorar a proposta da Comissão".

"No caso do lagostim, estavam previstos menos 15, passou para menos cinco; o linguado, também. A pescada, que é preocupante, e cuja proposta era menos 18, acaba por ser reduzida em menos oito, não deixa de ser mau, mas é menos mau, digamos assim. Globalmente a proposta tem algumas situações complicadas e que acabaram por ser suavizadas, o que é bom para a pesca portuguesa."

O representante da Associação de Armadores de Pesca Industrial volta a apontar questões há muito reclamadas: "A pesca não é só quotas, há muitas outras coisas, nomeadamente a frota e tributações, que têm de ser pensadas e que têm estado a ser completamente ignoradas, quer pela União Europeia, quer pelo Estado-membro."

"Precisamos de apoio. A descarbonização é um desafio tremendo que temos todos nós, sociedade. Toda a indústria tem este problema." Pedro Jorge Silva também denuncia que "nada está a ser feito quanto aos navios de pesca", e atira: "A União Europeia tem esquecido e tem abandonado completamente este setor."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de