EasyJet anuncia novo avião em Faro e criação de 30 postos de trabalho

Além do avião em Faro, a empresa vai colocar outros quatro aviões em Málaga e Palma de Maiorca, em Espanha, criando cerca de 150 empregos diretos para pilotos e tripulantes.

A transportadora aérea easyJet anunciou esta terça-feira que vai colocar um novo avião na base de Faro para o verão de 2022, cirando cerca de 30 postos de trabalho diretos no Algarve, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a companhia destaca que vai adicionar mais um avião em Faro para o verão de 2022 e outros quatro em Málaga e Palma de Maiorca, Espanha.

Segundo a easyJet, este investimento cria cerca de 150 empregos diretos para pilotos e tripulantes ao abrigo de contratos locais em Portugal e Espanha.

"Desde o início da pandemia, a easyJet continuou a investir em Portugal, onde abriu uma nova base em Faro em junho de 2021 e aumentou a frota portuguesa global em 60%", refere a transportadora.

José Sousa, secretário-geral do Sitava, sindicato dos trabalhadores da aviação e aeroportos, desconfia de anúncios como este.

"A contratação de pessoal de terra em concreto resulta sempre em postos de trabalho precários, esporádicos e temporários que começam e terminam no momento em que a companhia decide acabar a operação. Portanto, para nós diz-nos pouco este tipo de anúncios em termos de investimento no nosso país", considera.

O secretário-geral do Sitava sublinha, no entanto, que "é sempre bem-vinda a operação aérea".

Confrontada com esta apreensão, a easyJet responde que não é da sua responsabilidade a segurança no emprego do pessoal da área do handling, que é representado pelo Sitava, que irá reforçar a operação em Faro. O diretor-geral da empresa em Portugal esclarece que esses trabalhadores serão contratados à Portway, a quem compete cuidar da estabilidade laboral dessas pessoas. José Lopes garante que a política da empresa prima por garantir essa segurança.

"A easyJet orgulha-se de ser uma empresa que não tem trabalho precário, que tem salários acima da média no nosso país, mas também postos de trabalho que irão desenvolver postos de trabalho indiretos", afirma.

O diretor-geral da easyJet sublinha que o reforço da operação em Faro é um sinal de confiança no destino do Algarve, em boa medida pela segurança que decorre da imunização à Covid que foi atingida em Portugal.

"Acreditamos que, nomeadamente, em Portugal os excelentes números da vacinação ajudam a que pouco a pouco seja retomada a normalidade, mas ainda há aqui um percurso a fazer", considera José Lopes, que sublinha que irão "continuar o esforço por estimular um mercado para que as pessoas voltem a ter confiança em voar e a retomar pouco a pouco a sua vida normal".

Já João Fernandes, presidente do turismo do Algarve, considera que este anúncio é um bom sinal.

"É mais um reforço que dita também um sinal de consciência no destino do Algarve para o verão de 2022. Será um ano, à partida, já com uma procura externa mais robusta, mas também este exercício reflete um trabaho da própria easyJet em conjunto com a secretaria de Estado do Turismo, do Turismo de Portugal, do Turismo de Portugal e a ANA Aeroportos que tem, felizmente, dado frutos", explica.

O presidente do turismo do Algarve entende que a criação de 30 postos de trabalho diretos é uma boa notícia, mas há um impacto ainda maior deste anúncio feito pela companhia low cost, no que toca à procura que gera".

A companhia aérea acrescenta ainda quatro novos aviões às suas outras bases sazonais em Espanha, dois em Málaga e dois em Palma de Maiorca.

"Este movimento representa um aumento da frota easyJet em 70% nas bases de Portugal e Espanha, em comparação com o período pré-pandémico, e em Portugal, em particular, representa um aumento de mais de 60% desde 2019, com um novo avião na base do Porto -- desde o verão de 2020 -- e quatro novos aviões em Faro, desde a abertura desta base em junho de 2021", é referido na nota.

Assim, no próximo verão, Faro terá quatro aviões, elevando a frota portuguesa para 13 aviões, incluindo cinco na base de Lisboa e quatro no Porto.

"Este investimento vai criar cerca de 150 empregos diretos em Portugal e Espanha. Só em Portugal a easyJet emprega atualmente mais de 425 pessoas, todas ao abrigo de contratos locais e negociados com sindicatos industriais portugueses", salienta a transportadora.

José Lopes, Country Manager da easyJet para Portugal, citado no comunicado, refere estar muito satisfeito por poder anunciar mais este investimento no mercado português.

"Apesar de toda a indústria ainda estar a viver um ambiente, isto confirma o compromisso da easyJet com Portugal e com o crescimento sustentável do país e da sua rede europeia. Estamos constantemente a avaliar as novas oportunidades e atendendo ao sucesso da nossa nova base sazonal em Portugal, adicionar mais capacidade a estes destinos é um passo lógico", sublinhou.

José Lopes congratulou-se também pelo facto de o novo investimento criar cerca de 30 novos empregos diretos.

"Temos o orgulho de ser uma das companhias aéreas mais fortes em Portugal, com quase 7,2 milhões de passageiros transportados de e para o país durante a pré-pandemia e mais de 20 milhões de passageiros de e para Faro desde 1999, quando a easyJet iniciou as suas operações no Algarve", disse.

* Notícia atualizada às 12h19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de