Estado tem de financiar dívida da CP porque não pagava serviço exigido

Pedro Nuno Santos falou de uma "dívida histórica". Admitindo que o "Estado não fazia a sua parte", o governante lembrou que, no sentido oposto, eram celebrados contratos de concessão com operadores privados.

O ministro das Infraestruturas afirmou esta segunda-feira, em Lisboa, que o Estado tem que financiar a dívida histórica da CP porque, no passado, não pagava pelo serviço que obrigava a empresa a prestar.

"Temos que financiar a dívida histórica porque o Estado, no passado, não pagava serviço à CP no território, mas impunha que o prestasse", notou Pedro Nuno Santos, durante a sessão de lançamento do Plano Ferroviário Nacional (PFN).

Admitindo que o "Estado não fazia a sua parte", o governante lembrou que, no sentido oposto, eram celebrados contratos de concessão com operadores privados, que permitiam às respetivas empresas ter uma "operação equilibrada ou rentável".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de