FESAP admite que houve desleixo por parte do Governo quanto à ADSE

Desde 2015 que se sabe que é preciso alargar a ADSE a novos quotizados. No entanto, não houve ainda uma ação do Executivo nesse sentido.

A FESAP (Federação de Sindicatos da Administração Pública), que integra o conselho geral e de supervisão da ADSE, admite que tem havido por parte de alguns agentes, incluindo o Governo, alguns desleixos em relação às contas.

"Há aqui uma certa displicência por parte do conselho diretivo. É preciso que haja outro tipo de empenho, outro tipo de trabalho", sustenta José Abraão, da FESAP.

Desde 2015 que se sabe que é preciso alargar a ADSE a novos quotizados. No entanto, não houve ainda uma ação do Executivo nesse sentido. No relatório conhecido esta manhã, recorda-se uma antiga estimativa dos gestores da ADSE segundo a qual um alargamento do número de pessoas a fazer descontos teria um efeito positivo de 11 milhões de euros em 2017 e de 42 milhões de euros em 2018.

No documento, consta a conclusão do Tribunal de Contas de que a ausência de decisão por parte dos ministérios da Saúde e das Finanças terá prejudicado a ADSE nesses montantes.

"Em relação ao próprio Governo, não se pode continuar em meras declarações de intenção. O que é importante é a ação, é resolver os problemas, porque também se trata de um instituto especial que é novo, está a ser testado. O empenho teria de ser diferente, quer por parte das Finanças, quer por parte do Ministério da Saúde", aponta José Abraão.

"São propostas novas no sentido do alargamento a novos beneficiários que podem garantir mais sustentabilidade ao longo do tempo: por exemplo, ao nível dos contratos de trabalho e o setor empresarial municipal, aqueles que saíram da ADSE e queriam voltar por considerarem um bom sistema de saúde..."

Com estas propostas, "será, com certeza, sustentável se toda a gente cumprir, se se gerir com equilíbrio no combate à despesa excessiva e fraude". "Não quero acreditar que a ADSE tenha problemas", alega.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de