Frente Comum condena perda de remuneração nas férias escolares

A Frente Comum entende que "o Governo opta por determinar que, durante o período das férias escolares, os trabalhadores que prestem apoio à família têm as faltas justificadas, mas com perda total de rendimentos".

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública (FCSAP) condenou hoje a perda de rendimentos dos trabalhadores que vão continuar em casa com os filhos durante as férias escolares e a falta de esclarecimento do Governo.

"A FCSAP é parte integrante da solução e, por isso, não pode aceitar nem mais uma medida de retirada de rendimentos aos trabalhadores a par da ausência total de esclarecimentos por parte do Governo quanto à adoção de medidas relativas aos serviços públicos", afirmou a estrutura sindical num comunicado.

Na nota de imprensa, a Frente Comum, referindo-se a um decreto governamental publicado na quinta-feira à noite, salienta que "o Governo opta por determinar que, durante o período das férias escolares, os trabalhadores que prestem apoio à família têm as faltas justificadas, mas com perda total de rendimentos (com exceção dos que têm filhos a frequentar as creches)".

A FCSAP considerou que esta medida segue "a prática ilegal de centenas de empresas".

"O governo dita que para que continuem a receber o seu salário os trabalhadores sejam forçados a gozar férias, tal como ditam as mais agressivas práticas patronais", afirmou.

Para a Frente comum, a decisão governamental é inaceitável e defendeu que os trabalhadores nestas condições não devem perder a remuneração.

A estrutura sindical, da CGTP, queixa-se ainda de ter feito "sucessivos pedidos urgentes de reunião à Ministra para discutir os problemas que estes trabalhadores (...) estão a enfrentar diariamente e esta nem sequer se digna a responder".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de