Futuro das moratórias? Mário Centeno procura resposta

O Governador do Banco de Portugal assume que tem ainda tempo para que possa avaliar uma solução alternativa para o fim das moratórias, em setembro.

Numa aula na Escola Profissional Instituto de Gouveia, uma aluna perguntou ao Governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, pelo futuro das moratórias, que mobilizam nesta altura 42 mil milhões de euros.

Mário Centeno revelou que o BdP está a analisar uma resposta nos próximos quatro meses.

"O que nós nos vemos confrontados hoje é com uma avaliação concreta daquilo que é a situação das empresas e das famílias, e o Banco de Portugal está a trabalhar nesse sentido, como entidade responsável nesta área, e devemos concluir esta avaliação (e temos algum tempo, porque este é um processo que decorrerá nos próximos meses) para termos uma solução atempada face ao fim das moratórias que é setembro deste ano", argumenta Mário Centeno.

O Governador do BdP, apesar de defender que "esta medida é temporária", justifica que a solução para as moratórias deve servir para "podermos dar uma resposta completa ao desafio que ainda todos enfrentamos e antecipamos que seja significativo mas não é comparável com aquilo que se colocava em março de 2020".

Mário Centeno disse ainda que "a Europa tem condições para sair da crise pandémica, sem entrar numa crise económica, financeira e social", mas o Governador do BdP remete para os decisores políticos dos 27 estados membros da União Europeia "que as conquistas de 2020 não sejam deitadas a perder".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de