"Ganhamos competitividade." Associação Comercial do Porto prefere comboio rápido em vez do avião entre Lisboa e Porto

O presidente da Associação Comercial do Porto diz-se "espantado" com as declarações do ministro das Infraestruturas. Nuno Botelho afirma que a TAP é "irrelevante" no aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Nuno Botelho defende que, a concretizar-se o previsto no Plano Ferroviário Nacional, apresentado esta segunda-feira, os negócios a norte só têm a ganhar. Entrevistado pela TSF, o presidente da Associação Comercial do Porto insiste que a TAP só existe "para pedir dinheiro aos portugueses" e defende que já antes da Covid, os empresários nortenhos vão contavam com a companhia aérea portuguesa.

"Muitas das soluções passavam por irmos de carro, ou num comboio atrasado que chegava quando chegava. Portanto, se as ligações ferroviárias forem melhoradas, ganhamos competitividade e, definitivamente, deixamos de contar com os atrasos da ponte aérea" entre Lisboa e Porto, que "eram constantes".

Por isso, Nuno Botelho considera que o comboio rápido é uma "boa notícia" mas, ressalva, é preciso que não fique no papel: "Até ver concretizado, pago para ver, literalmente, porque sou contribuinte."

Na apresentação do Plano Ferroviário Nacional, Pedro Nuno Santos defendeu ainda que, de futuro, a será a ligação de alta velocidade entre o aeroporto do Porto e Vigo a "dinamizar" o aeroporto do Porto O ministro diz que "olhamos muitas vezes para a TAP como um instrumento" dessa dinamização, o que, na opinião do governante, vai deixar de acontecer, com o fim das ligações aéreas entre destinos separados por menos de 600 quilómetros.

São declarações que "espantam" o presidente da Associação Comercial do Porto. Nuno Botelho considera que a TAP é "irrelevante" nos movimentos aéreos no aeroporto Francisco Sá Carneiro, com uma "quota" que, atualmente, não ultrapassa os 5 por cento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de