Geringonça marginalizou sindicatos? "Acabou por reduzir-se o espaço da negociação coletiva"

José Abraão, líder da Fesap, é o convidado da Vida do Dinheiro, entrevista da TSF e do Dinheiro Vivo.

José Abraão, líder da Fesap, é o convidado da Vida do Dinheiro, entrevista da TSF e do Dinheiro Vivo.

Depois de um acordo plurianual considerado histórico, entre o governo e dois sindicatos, um deles, a Federação Sindical da Administração Pública, considera que a chamada gerigonça marginalizou os sindicatos.

José Abraão assinala que, "fruto da necessidade de se obter, no Parlamento", condições para governar, o espaço para a negociação coletiva acabou por ser reduzido.

O que acabou por acontecer "foram simples exercícios de audição, muitas vezes utilizados para avançar com médias salariais, milhões e milhões de euros, só que não chegava - como não chegou em muitos casos - ao bolso das pessoas", assinala. "A negociação coletiva a que temos direito nos termos da lei ficou prejudicada e penalizada, não nos cansamos de o dizer."

O secretário-geral da Fesap, José Abraão, entrevistado pela TSF e Dinheiro Vivo, considera que o tempo em que o PS governou com o apoio parlamentar do BE, PCP e dos Verdes, dificultou o trabalho dos sindicatos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de