Governo avança com apoio a famílias mais vulneráveis que pode abranger 1,4 milhões de pessoas

Valor do apoio deve flutuar em função do aumento do preço dos bens alimentares e será entregue através de uma "transferência para os beneficiários".

O Governo vai avançar com um mecanismo de apoio às famílias mais vulneráveis, para fazer face ao aumento do preço dos combustíveis e dos bens alimentares, anunciou esta segunda-feira o ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

A medida foi anunciada numa conferência de imprensa conjunta com a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, no Ministério da Economia, em Lisboa, sobre os novos apoios governamentais no âmbito do conflito na Ucrânia.

O apoio às famílias mais vulneráveis será discutido em Conselho de Ministros, disse Siza Vieira, e o universo de possíveis beneficiários engloba 1,4 milhões de pessoas.

Trata-se de um mecanismo de apoio às famílias mais vulneráveis ao aumento dos preços de bens alimentares em função do qual deve flutuar o valor do apoio. O que está a ser desenhado "é mesmo uma transferência para os beneficiários de um conjunto de prestações sociais", explicou.

Este deverá abranger os agregados familiares que são beneficiários da tarifa social de energia elétrica e outras prestações sociais c​​omo ​​​​o complemento solidário para idosos, do Rendimento Social de Inserção, do subsídio de desemprego, de prestações sociais ou quem tenha um rendimento mensal inferior a cinco mil euros, majorado por dependentes.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de