Governo propõe aumentos na função pública até 0,7%

Líder da Federação de Sindicatos da Administração Pública considerou a proposta "uma ofensa".

O Governo propôs esta quarta-feira aos sindicatos da função pública aumentos salariais iguais aos que serão aplicados às pensões, que no máximo serão de 0,7% em 2020, disse o dirigente da Fesap, José Abraão. À saída da uma reunião com os secretários de Estado do Orçamento, João Leão, e da Administração Pública, José Couto, o líder da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) considerou a proposta "uma ofensa".

José Abraão afirmou que os governantes propuseram que para o aumento salarial para os funcionários públicos seja aplicado "exatamente" a mesma fórmula que é usada para as pensões, que tem em conta a inflação sem habitação e o crescimento económico e cuja atualização é diferenciada, tendo em conta os valores das pensões.

Se a proposta avançar tendo em conta a fórmula que é usada para as pensões, significa que os funcionários públicos com salários até 877,6 euros brutos terão um aumento de 0,7% e que os trabalhadores que ganhem entre 877,6 euros e 2.632,8 euros brutos terão uma atualização de 0,2%.

Já para valores superiores a 2.632,8 euros brutos não haverá atualização. Porém, segundo afirmou o líder da Fesap, os governantes garantiram na reunião que haverá aumentos salariais para todos os trabalhadores em 2020.

As rondas negociais com o Governo sobre as matérias orçamentais para a função pública estão a decorrer com a Frente Comum da CGTP e o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de