Granizo pode ter comprometido produção de vinho e fruta em Vila Real por vários anos

Autarca Rui Santos explica que as vinhas e árvores de fruto podem não ter capacidade para produzir nos próximos anos.

A produção de vinho e fruta em Vila Real pode estar comprometida nos próximos anos depois do temporal e da queda de granizo registados esta segunda-feira em algumas das freguesias do concelho.

O presidente da câmara municipal, Rui Santos, explica à TSF que nunca tinha visto uma queda de granizo como a de ontem e alerta que, se nada for feito, os prejuízos podem arrastar-se por vários anos.

Há situações em que "a vinha ficou de tal forma danificada que não só tem prejuízos por falta de produção durante este ano", como também pode "não produzir no próximo ano, o que é terrível". E a produção que sobreviveu ao temporal "pode não ser suficiente para garantir a quota de produção de vinho generoso a que os agricultores estão obrigados".

Muitos dos 200 agricultores afetados pelo fenómeno meteorológico não têm seguro e, apesar de ter falado com o autarca esta segunda-feira, a ministra da Agricultura ainda não adiantou soluções. Rui Santos insiste: se nada for feito, o quadro é negro.

As famílias destes agricultores "ficarão, com certeza, em muito má situação" se não surgirem ajudas rápidas que "permitam a cicatrização imediata das videiras e árvores de fruto, para que produzam nos próximos anos", mas também para compensar a "quebra brutal de produção" imediata.

Tendo em conta o cenário, o autarca apela à tutela que atribua um "valor por hectare" a cada um dos afetados, de modo a "socorrer estes agricultores".

Ao final da tarde de segunda-feira, e durante vários minutos, caiu granizo com muita intensidade, descrito como sendo do tamanho de nozes ou de bolas de pingue-pongue no território de Vila Real, acompanhado de chuva intensa.

O fenómeno provocou estragos em vários setores da economia, como a agricultura, atingindo vinhas inseridas na Região Demarcada do Douro, em árvores de fruto, como maçãs e cerejas, e ainda produtos hortícolas.

Há ainda relatos de estragos em carros de particulares e até em coberturas de casas e armazéns devido à dimensão das pedras de granizo. As freguesias afetadas são desde Guiães, Abaças, Andrães e Constantim.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de