Iniciativa Liberal quer auditoria ao processo de recomposição do capital da TAP

João Cotrim Figueiredo considera que falta transparência na injeção de dinheiro público na companhia aérea.

A Iniciativa Liberal quer que o tribunal de contas faça uma auditoria ao processo de recomposição do capital da TAP, que ocorreu no ano passado, antes que seja tarde. O líder do partido, João Cotrim Figueiredo, considera que falta transparência na injeção de dinheiro público na companhia aérea.

"As contas que vão aparecendo, pelas sucessivas revisões e pela falta de fundamentação, são certamente discutíveis e, enquanto não as conhecermos, não as podemos discutir. Em Portugal, há um bocadinho este hábito de pedir auditorias um ano ou dois ou três depois de os problemas aparecerem, quando já é, normalmente, muito tarde para corrigir seja o que for. Aqui estamos a tentar fazer o inverso", sustenta.

João Cotrim Figueiredo tem dúvidas de que a TAP seja uma empresa estratégica e mesmo os argumentos da salvaguarda de emprego e da coesão social não o convencem. Para o líder da Iniciativa Liberal, o dinheiro público que está a ser canalizado para a TAP podia ser aplicado noutros setores e a pandemia não pode servir de desculpa para tudo: "Tudo o que envolva a aplicação do dinheiro dos contribuintes deve ser muitíssimo bem escrutinado, especialmente num contexto destes, em que há muitas outras necessidades que devem ser prioritárias, do nosso ponto de vista."

João Cotrim Figueiredo lamenta que o plano de recuperação da TAP ainda não tenha chegado ao Parlamento. A Iniciativa Liberal não quer que o plano que vai ser apresentado em Bruxelas seja depois "vendido" como um facto consumado e, por isso, pede transparência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de