Duas em cada três startups apoiadas pelo Estado resistem ao fim de dois anos

A StartUP Mais é anunciada esta sexta-feira pelo ministro Pedro Siza Vieira. Desde que foi iniciado, no ano passado, o StartUP Visa já atraiu centenas de negócios, a troco de autorizações de residência.

Duas em cada três startups apoiadas pelo Estado resistem como empresas ao fim de dois anos. Esta é uma das conclusões da avaliação de três anos de atividade da agência que aplica, em Portugal, a estratégia nacional do empreendedorismo.

Em dia de apresentação da nova geração da nova geração da StartUP Portugal, esta sexta-feira, o ministro da Economia, admite, em declarações à TSF, que para estas empresas, em que uma ideia é transformada num negócio, há uma probabilidade de 1/3 de não vingarem. "Há muita mortalidade, mas estamos a notar cerca de dois terços sobrevivem ao fim de dois anos. No entanto, o teste que estamos a fazer ao 'ecossistema' não é esse; é a capacidade que podemos ter de acelerar o processo de inovação da economia portuguesa", nota Pedro Siza Vieira.

Ainda assim, o ministro não desvaloriza os registos, e assinala que há "três startups portuguesas que atingiram a marca dos mil milhões de euros, três unicórnios portugueses num universo que não é assim tão grande".

Na nova geração desta agência, agora designada StartUP Mais, as principais ferramentas de apoios, mantêm-se, mas há alguns acrescentos, como um apoio a ideias que resultem em inovação para a administração pública.

"Estamos a pensar em mais e em diferentes apoios. Mantemos muitas das soluções existentes, mas lançamos agora novos programas, designadamente o pitch voucher, que permite apoiar as startups na aproximação e na criação de oportunidades com grandes empresas, o Inov Gov, para que as startups possam propor soluções de inovação para o setor público, e a Web Summit, que vai ter nova edição", explica o ministro Adjunto e da Economia.

Durante a apresentação da StartUP Mais, marcada para o meio-dia, o ministro Pedro Siza Vieira deverá anunciar o volume de apoios nas áreas do financiamento, da internacionalização e da atração de investimento estrangeiro. Desde que foi iniciado, no ano passado, o StartUP Visa já atraiu centenas de negócios, a troco de autorizações de residência.

"Estamos a transformar Portugal num destino atrativo para o desenvolvimento de novos negócios e novas ideias. De facto, o programa StartUP Visa já atribuiu um conjunto significativo de vistos para estes empreendedores, e estamos neste momento com quase 900 empreendedores instalados em Portugal ao abrigo deste regime", analisa Pedro Siza Vieira.

A nova geração da StartUP Portugal, estratégia nacional para o empreendedorismo, é apresentada em Lisboa, no Teatro Thalia.

Foi em 2016 que o Ministério da Economia lançou a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, designada StartUP Portugal, para possibilitar o alargamento a todo o país e a todos os setores de atividade empreendedora subjacente à compreensão de Portugal como um novo "ecossistema de empreendedorismo ao nível europeu", "decorrente dos investimentos realizados na última década em qualificação de recursos humanos, infraestruturas e tecnologia, que proporcionam oportunidades para quem pretende lançar ou investir em novos negócios".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de