Fundação Calouste Gulbenkian recorda Soares dos Santos como um "visionário"

O Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian recorda uma "figura ímpar do mundo empresarial e da filantropia".

O Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian lamentou hoje a morte do empresário Alexandre Soares dos Santos, considerando-o um "visionário" e uma "figura ímpar do mundo empresarial e da filantropia".

"Soares dos Santos foi um empresário visionário, que criou um grupo com dimensão internacional, mas foi também um homem que nunca abdicou das suas convicções e da sua intervenção cívica pelo futuro do país e dos portugueses", refere a Fundação Calouste Gulbenkian, em comunicado à imprensa.

Alexandre Soares dos Santos, antigo presidente da Jerónimo Martins (JM), morreu na sexta-feira, aos 84 anos.

Segundo a Fundação Calouste Gulbenkian, a herança que o empresário deixa em várias ações filantrópicas e nas fundações que criou é "um exemplo da sua visão, mas também uma referência para todos".

Elísio Alexandre Soares dos Santos nasceu no Porto em 1934, começando a carreira profissional em 1957 na Unilever e depois, até 1967, foi diretor de 'marketing' da Unilever Brasil, entrando no ano seguinte para o Conselho de Administração da JM como administrador-delegado, cargo que acumulou com o de representante na 'joint-venture' com a Unilever.

Em fevereiro de 1996 passou para a presidência do Conselho de Administração da JM, cargo que ocupou até abril de 2003, quando passou a presidente não executivo ('chairman'), até 18 de dezembro de 2013.

Em 2009, Alexandre Soares dos Santos criou a Fundação Francisco Manuel dos Santos, que gere o portal "Pordata", Base de Dados do Portugal Contemporâneo, e lançou uma coleção de livros de ensaio, a preços reduzidos, sobre temas da atualidade.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de