PCP acusa Governo de "esvaziar direito à greve" dos trabalhadores da Ryanair

Para os comunistas os critérios do Governo para decretar serviços mínimos não fazem sentido.

O Partido Comunista acusa o Governo de "esvaziar o direito à greve" dos trabalhadores da Ryanair que iniciam esta quarta-feira uma paralisação de cinco dias. Em entrevista à TSF, o deputado comunista João Oliveira defende que os argumentos do executivo de António Costa para decretar serviços mínimos não fazem sentido.

"Há, de facto, um enquadramento que começa a tornar-se verdadeiramente preocupante com a forma como o Governo vai tomando medidas para, na prática, esvaziar o direito à greve e impedir os trabalhadores de fazerem greve", avançou João Oliveira à TSF.

João Oliveira acredita que os critérios do Governo que passam pela "duração exagerada da greve" ou as questões "do acesso ao transporte e da acumulação e passageiros à espera de transporte nos aeroporto" são "um pretexto que serve apenas para limitar o exercício do direito à greve".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de