Investigadores dizem que stock de sardinha está a aumentar nas águas ibéricas

Para o setor da produção, os resultados científicos agora conhecidos revelam que "as medidas de gestão da pesca da sardinha estão a ter os efeitos esperados para garantir uma rápida recuperação do stock".

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o Instituto Espanhol de Oceanografia estimam que existe um aumento do stock de sardinha em águas ibéricas, divulgaram esta sexta-feira após a campanha científica realizada em setembro.

"As estimativas finais apontam para um aumento da abundância de juvenis de sardinha, passando de 534 milhões de peixes estimados em 2018 para 5.452 milhões em 2019, valor superior à estimativa de 4.821 milhões utilizada para avaliação do estado do stock em 2019", refere o IPMA no comunicado divulgado esta sexta-feira.

O recrutamento de 2019 "é superior aos recrutamentos verificados nas campanhas realizadas na última década" e os indicadores mais recentes vão ser analisados pelo Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES, na sigla em inglês).

A abundância de sardinha foi estimada em 1.986 milhões em 2013, 2.822 milhões em 2015, 899 milhões em 2016, 472 milhões em 2017 e 534 milhões em 2018.

Ainda de acordo com a mesma fonte, a maior concentração de sardinhas juvenis foi observada pelo cruzeiro científico na costa portuguesa ocidental norte, entre Aveiro e Figueira da Foz.

A Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca (ANOP) do Cerco reagiu esta sexta-feira aos resultados, afirmando em comunicado que eram "aguardados pelo setor com muita expectativa não só pela sua importância na determinação do estado atual do stock de sardinha na Península Ibérica, mas acima de tudo por poder vir a confirmar cientificamente toda a certeza que está instalada no setor da produção".

Para o setor da produção, os resultados científicos agora conhecidos revelam que "as medidas de gestão da pesca da sardinha estão a ter os efeitos esperados para garantir uma rápida recuperação do stock".

Segundo a ANOP Cerco, a evolução do estado do recurso "ultrapassa largamente os objetivos" do Plano Plurianual de Gestão e Recuperação da Sardinha Ibérica 2018-2023, antecipando-os de 2023 para 2021.

A pesca e a descarga da sardinha estão proibidas desde o dia 12 de outubro para garantir a sustentabilidade do recurso, conforme estipulou o Governo num despachado publicado em Diário da República.

Por esse motivo tem havido todos os anos paragens do setor, têm sido implementadas medidas de proteção dos juvenis e impostos limites anuais às possibilidades de captura.

A pesca da sardinha foi retomada este ano em 03 de junho, ainda que com medidas de gestão e limites de captura definidos, depois de ter estado parada desde meados de setembro de 2018.

O estado do recurso está a ser avaliado pelo ICES com o intuito de definir as possibilidades de pesca para 2020 para Portugal e Espanha. O próximo parecer deverá ser conhecido em meados deste mês.

Em setembro, a então ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, mostrou-se cautelosa com a possibilidade do aumento das capturas em 2020, enquanto as organizações ibéricas da sardinha defendem que uma atualização das possibilidades de pesca para 30 mil toneladas em 2020, acima das 9.000 autorizadas para 2019.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de