Lisboa-Porto? Pedro Nuno Santos não quer ligações aéreas com menos de 600 quilómetros

O ministro das Infraestruturas que tutela a TAP refere que deixar de fazer ligações aéreas Lisboa-Porto é "sinal de desenvolvimento".

Uma ponte aérea entre Lisboa e Porto (como fazia a TAP) é incompatível com o desenvolvimento ferroviário nacional. O ministro das Infraestruturas que tutela a TAP acredita que as viagens aéreas não deveriam ter menos de 600 quilómetros e a distância entre Lisboa e Porto pouco passa dos 300.

Na apresentação do Plano Ferroviário Nacional, esta tarde, Pedro Nuno Santos defendeu que a salvação do aeroporto Francisco Sá Carneiro é a ligação de alta velocidade com a cidade galega de Vigo.

"Eu sou muito adepto da ferrovia e quero que a ferrovia se expanda e melhorar o ambiente. Portanto também quero que as viagens de avião com menos de 600 quilómetros desapareçam da Europa. Custa-me, dada a situação da TAP que os aviões deixem de fazer Lisboa-Porto, mas isso é um sinal de desenvolvimento", começa por dizer Pedro Nuno Santos.

O ministro das Infraestruturas explica que "se olha muitas vezes para a TAP como um instrumento para dinamizar o aeroporto de Sá Carneiro. A principal dinamização do aeroporto de Sá Carneiro será mesmo dada com a ligação de alta velocidade entre o aeroporto Sá Carneiro e Vigo".

Pedro Nuno Santos considera que a ligação ferroviária em 75 minutos entre Lisboa e Porto vai mudar radicalmente a forma como se organiza o trabalho e as empresas em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de