Lucros da Galp baixam 21%. Energética arrecadou 560 milhões no ano passado

O 'cash flow' das atividades operacionais foi de 1,8 mil milhões.

O lucro da Galp caiu 21% para os 560 milhões de euros em 2019 face ao ano anterior, segundo os resultados comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em comunicado ao mercado, a Galp Energia informou que o resultado líquido anual ajustado totalizou 560 milhões de euros, 21% abaixo do registado em 2018, sendo que de acordo com as normas contabilísticas internacionais (IFRS) a queda é de 46%, para 389 milhões.

No quarto trimestre de 2019, o lucro tinha crescido 44% em termos homólogos para 157 milhões (106 milhões de euros em IFRS).

Já o resultado ajustado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) aumentou 7% em termos homólogos para 2.381 milhões de euros.

"Numa base comparável, excluindo o efeito da norma IFRS 16, o EDIBTA RCA teria sido em linha com o do ano anterior, apesar dos menores preços de petróleo", refere a empresa.

O 'cash flow' das atividades operacionais foi de 1,8 mil milhões, uma subida homóloga de 19%.

No negócio da Exploração & Produção (E&P), o EBITDA subiu 22% para 1.751 milhões de euros, enquanto na unidade Gas & Power subiu 39% para 189 milhões de euros. A penalizar o EBITDA da companhia esteve a unidade de Refinação e Distribuição, que gerou uma queda de 32% para 415 milhões de euros.

O investimento líquido chegou aos 856 milhões, com a Exploração & Produção a representar 70% e o restante focado nas atividades de manutenção e melhoria da eficiência energética das refinarias, assim como na renovação da rede de distribuição.

A dívida líquida a 31 de dezembro de 2019 foi de 1.435 milhões de euros, um decréscimo de 302 milhões relativamente ao ano anterior, e o rácio de dívida líquida para EDIBTA RCA situou-se em 0,7%.

Os dados divulgados indicam que a produção líquida (net entitlement) - após o pagamento de impostos em espécie aos países em que produz e que revertem integralmente para os resultados da Galp -- cresceu 13% em termos homólogos para 120 mil barris/dia.

A produção média no indicador "working interest" - a produção bruta de matéria-prima, sobretudo petróleo, que inclui todos os custos decorrentes das operações -- registou um crescimento de 14% face ao ano anterior, fixando-se nos 121,8 mil barris por dia.

Os resultados da Galp refletem a desvalorização dos preços do petróleo nos mercados internacionais, que caiu 38% para 3,1 dólares por barril em 2019.

As vendas totais de gás natural ou liquefeito mantiveram-se em linha com ano anterior e as vendas de eletricidade a clientes diretos caíram 17% relativamente ao ano anterior.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de