Ministro da Economia garante que Portugal vai ter "energia mais barata e competitiva"

Aposta nas energias renováveis tem efeitos que vão ser sentidos a médio prazo, assegura o ministro António Costa Silva.

O ministro da Economia e do Mar garante que Portugal vai ter energia mais barata e competitiva. António Costa Silva sublinhou, esta segunda-feira, a importância da sustentabilidade energética.

"Portugal é dos países que tem feito a sua trajetória, 60% da nossa energia, hoje, já provém de energias renováveis - e essas energias são altamente competitivas, como toda esta crise energética na Europa está a demonstrar", afirmou o ministro. "Nós vamos ter, a médio prazo, energia mais barata e energia mais competitiva", assegurou.

António Costa Silva, que discursava na inauguração de um novo centro de investigação e desenvolvimento em 5G e 6G da Nokia, em Alfragide, defendeu ainda que Portugal e a Europa não podem ficar dependentes do exterior.

O ministro da Economia sublinha que a pandemia já mostrou como é perigoso estar na mão de outros países fornecedores.

"Nós já fomos altamente prejudicados durante a crise da Covid. Descobrimos que muitos dos medicamentos que nós, inclusive, fabricamos em Portugal (...), de súbito, o país já não fabricava essas substâncias ativas dos medicamentos e tinha de importar da Índia. E a mesma coisa em relação aos microchips (...), que vão formatar as cidades inteligentes, formatar a Internet das coisas, e nós temos também uma dependência grande do exterior", exemplificou António Costa Silva.

"Por isso é que é vital, na área do 5G e do 6G, com a Nokia e outras grandes companhias europeias, nós estarmos na linha da frente da resposta e da liderança tecnológica a nível global", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de