Ministro sobre a ANA: "Está a defender a sua posição"

Pedro Nuno Santos admite que o "receio de que a ANA está a usar a sua posição para favorecer a sua empresa não bate certo com o facto de a Portway não poder ficar como única operadora do aeroporto", e salienta que esse "risco não existe".

Pedro Nuno Santos considerou que a intenção da ANA - Aeroportos de Portugal de avançar com a revogação das licença de ocupação da Groundforce pelo facto de as dívidas da empresa de 'handling' serem já superiores a 13 milhões de euros, o que "nada tem a ver com a Portway porque essa empresa não poderia atuar sozinha no aeroporto".

O ministro das Infraestruturas considera, por isso, a ANA está apenas a a defender a sua posição: "A ANA não retirou nenhuma licença. Tem créditos sobre uma empresa, pode atuar, e fez um contacto com essa empresa. A Portway não pode ficar como única operadora do aeroporto."

O governante admite que o "receio de que a ANA está a usar a sua posição para favorecer a sua empresa não bate certo com o facto de a Portway não poder ficar como única operadora do aeroporto", e salienta que esse "risco não existe". A ANA - Aeroportos de Portugal "está a defender a sua posição", tal como qualquer empresa, vinca Pedro Nuno Santos.

O ministro proferiu estas declarações na comissão parlamentar de Economia, onde pela manhã o ministro deixou a garantia de que tudo será feito para resolver os problemas da Groundforce; se o Montepio não conseguir vender os 50% da Groundforce que estão nas mãos da Pasogal, o Estado encontrará uma solução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de