Navio da Marinha vai transportar combustível para a ilha das Flores

Em último caso, podem ser usados aviões militares de carga para fornecer outros bens essenciais.

Um navio da Marinha vai transportar combustível para a ilha das Flores e, em último caso, podem ser usados aviões militares de carga para fornecer outros bens essenciais, depois de o porto ter ficado destruído pela passagem do furacão Lorenzo.

Nesta altura, já há perto de 300 militares no arquipélago e dois navios da marinha vão aferir as condições do porto que terá de ser inteiramente reconstruído. À TSF, o presidente da Câmara de Lajes das Flores, Luís Maciel explica que o navio para abastecimento de combustível vai chegar na próxima semana e pode ter de ficar fundeado ao largo: "O navio tem possibilidades de fundear fora da baía caso não haja possibilidade de entrar dentro da baía do porto. Neste momento, ainda é prematuro. Já temos cá algumas equipas que estão a fazer esse levantamento aqui da baía. Já têm estado alguns mergulhadores. Vão chegar também brevemente alguns equipamentos de sondagem."

Caso venha a ser necessário, Luís Maciel afirma que está também assegurado o recurso a aviões de carga da Força Aérea para abastecerem bens essenciais: "Num último caso que não pudesse mesmo ser feito por via marítima há sempre a possibilidade de fazer o transporte de carga, nomeadamente de mercadorias por via aérea com recurso a aviões cargueiros", conta.

A localização do porto nas Lajes das Flores levantou polémica quando foi construído, houve quem questionasse se este seria o local mais seguro para a infraestrutura, mas Luís Maciel afirma, que desta vez, essa questão não está na mesa.

"Sempre houve esse tipo de discussões, mas não vejo isso como algo que esteja a ser discutido. Aquilo que se está a trabalhar é na reposição do normal funcionamento do porto, é em reconstruir aquela infraestrutura de modo que consiga garantir o regular abastecimento da ilha como sempre tem acontecido até hoje.", remata.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de